Augusto Robalo - Muito embora o querer bem (G)



FADO FRANKLIN QUADRAS
Augusto Robalo - Muito embora o querer bem (G)

Muito embora o querer bem
Não seja um invento meu
Não permito que ninguém
Te queira mais do que eu

Meu coração vagabundo
Irá seja como for
Rua em rua mundo em mundo
Atrás de ti meu amor

Estes meus braços caídos
Fugindo a todos os laços
Só vibram quando pedaços
Dos nossos corpos unidos

A minha boca e a tua
Mal deixam de estar unidas
Lembram meninas perdidas
Chorando de rua em rua

Odeio o mundo a inveja
As convenções o temor
Odeio tudo o que esteja
Entre nós dois meu amor

Nenhum comentário:

Postar um comentário