Beatriz da Conceição - Lisboa (G)



Beatriz da Conceição - Lisboa (G)

Vejo do cais mil janelas Da minha velha Lisboa
Vejo do cais mil janelas Da minha velha Lisboa
Vejo Alfama das vielas O Castelo a Madragoa
Vejo Alfama das vielas O Castelo a Madragoa

Os meus olhos rasos de água Deixam por toda a cidade
Os meus olhos rasos de água Deixam por toda a cidade
A minha prece de mágoa nesta canção de saudade
A minha prece de mágoa nesta canção de saudade

Quando eu partir, reza por mim Lisboa
Que eu vou sentir, Lisboa, penas sem fim Lisboa
Saudade atroz que o coração magoa
A minha voz entoa feita canção, Lisboa

E se ao voltar me vires chorar, perdoa
Que eu abra a porta à tristeza para depois rir à toa
Tenho a certeza... que ao ver as ruas tal qual hoje eu vejo
Esse teu ar de raínha do Tejo...
Hei-de beijar-te.... Lisboa Hei-de beijar-te Lisboa

Hei-de beijar com ternura as tuas sete colinas
E vou andar à procura de mim de mim pelas tuas esquinas
E tu Lisboa hás-de vir aqui ao cais como agora
P'ra eu te dizer a rir O que hoje minh'alma chora

Nenhum comentário:

Postar um comentário