Fado Britinho (LA) - Travessa da palha



Fado Britinho [A]
Travessa da palha - Augusta Hermida

Foi na Travessa da Palha
Que o meu amante, um canalha
Fez sangrar meu coração
Trazendo ao lado outra amante
Vinha a gingar petulante
Em ar de provocação
Na taberna do Friagem
Entre muita fadistagem
Enfrentei-os sem rancor
Porque a mulher que trazia
Concerteza não valia
Nem sombra do meu amor
A ver quem tinha mais brio
Cantamos ao desafio
Eu e essa outra qualquer
Deixei-a a perder de vista
Mostrando ser mais fadista
Provando ser mais mulher
Foi uma cena vivida
De muitas da minha vida
Que se não esquecem depois
Só sei que de madrugada
Após a cena acabada
Voltámos p'ra casa, os dois

Nenhum comentário:

Postar um comentário